22 de julho de 2010

Mudanças

Mudar pode ser algo dolorido, difícil e muitas vezes, confuso. Afinal, tudo precisa de um tempo de adaptação. É preciso viver, conviver, achar o melhor jeito de levar as coisas até você gostar daquela mudança, ou apenas se conformar.

A minha primeira mudança foi quando eu tinha 9 anos. Mudei de um lado da cidade para o outro. Deixei para trás meus amigos, meu cachorro, a minha casa, minha escola, o meu quarto, meu bairro, meus vizinhos... até parecia que todas aquelas memórias de uma infância em um bairro calmo iam ser apagadas e de repente eu estaria em um apartamento grande, vazio, sombrio, sem amigos, sem vizinhos, sem meu cachorro.

Confesso que no início foi difícil me adaptar a tantas coisas novas, até porque eu sempre fui muito apegada às lembranças, pessoas, objetos que tem valor sentimental. Mas hoje, vejo que foi tão bom para mim. Adoro meu prédio, meu bairro, meus novos amigos e todas as lembranças que vivi de lá para cá. Já faz quase 12 anos e eu realmente me acostumei, me ajeitei e não me vejo mais sem este lugar.

Amanhã, posso passar por uma possível mudança. Não depende de mim, apenas de mim. Depende de outras pessoas, de perfil, de toque, de tato, de características, traços subjetivos. Ficarei feliz se esta mudança acontecer, mas estou preparada caso não aconteça.

Hoje, aprendi que cada experiência é única e válida. Deus sabe muito bem qual é o nosso momento, o momento das coisas acontecerem. E sobre amanhã? Coloquei nas mãos de Deus, mais uma vez!

Nenhum comentário:

Postar um comentário