19 de dezembro de 2012

2012 em palavras, números e ideias...


Uma porção de coisas novas. Nem todas foram fáceis, mas nem tudo foi dolorido.

2012 começou cheio de planos. Afinal 2011 foi um ano maravilhoso para mim e tudo isso acrescentava-se ao detalhe de eu estar formada. Agora, eu era jornalista. Passava do cargo de Estagiária para Analista. É... mas nem tudo foi assim tão simples.

Obstáculos vieram e a esperança de realizar um sonho era cada vez menor. Por muitos momentos eu pensei em não desistir, mas algo dentro de mim dizia para abrir mão deste desejo e seguir em frente.

E eu o fiz. Vivi dias em que o arrependimento quase tomou conta de mim. Aqueles instantes em que você gostaria de passar uma borracha em tudo e voltar para a rotina nem tão pacata.
A verdade é que depois de um passo dado para frente, não podemos dá-lo para trás. Então, seguir em frente é o destino.

Depois da tempestade, tudo que queremos são raios de sol ou pelo menos uma brisa fresca.
Mas quando depois da tempestade vem um furacão? Em paralelo ao furacão, outras dezenas de coisas ruins também acontecem: tsunamis, queimadas, nevascas... e é tudo ao mesmo tempo agora!

Uma das frases mais incríveis que escutei (ou li no Facebook) se aplica a este momento: você só sabe o tamanho da sua fé quando precisa recorrer a ela. Acreditar que tudo iria mudar foi a melhor (e única) das minhas opções.

Amor-próprio e momentos com  pessoas especiais também fazem a gente acreditar no fim de uma fase ruim para o início de um ciclo diferente, divertido e acima de tudo: sem tempestades.

Então chega o dia que a tempestade passa. Volta uma brisa de leve, mas e o medo de estar sem guarda-chuva quando a tempestade voltar? Sim, ele existiu por um período de tempo. Afinal nós, seres humanos, somos muito desconfiados.

Hoje, este medo já está tão distante. Assim como o quase arrependimento, a tempestade e as dezenas de coisas ruins - não que elas tivessem desaparecido, mas atualmente as olho de uma maneira diferente.

Eu poderia ter feito muitas coisas de maneiras diferentes, mas não as fiz. Talvez por imaturidade ou até mesmo falta de vontade. Medo, ansiedade, juventude. Não, eu não voltaria no tempo só para corrigi-las. Acredito que tudo aconteceu da maneira que deveria acontecer. Sem tirar nem pôr.

2012 não foi um ano perfeito, mas foi um ano no qual eu vivi a minha vida de uma maneira diferente, eu realmente aprendi sobre incertezas, sonhos, frustrações, decepções e como a vida é frágil.
Ah, e não posso esquecer que aprendi um pouco mais de inglês, arte, moda, lingerie, tecidos e quem diria Política e Economia Internacional.

É. Eu só posso agradecer a Deus por mais um ano de vida. Por um ciclo que se fechou e por uma nova era que se iniciou. Por todas as pessoas que eu conheci e por todas aquelas que permaneceram na minha vida. Por uma líder inspiradora que, com toda certeza, me ensinou uma das coisas mais relevantes para minha vida: não deixar nunca o brilho nos olhos ao fazer o que gosta e ao estar ao lado de quem gosta!

Números:

1 diploma
2 pedidos de demissão
20 entrevistas de emprego
2 chefes incríveis
1 chefe no estilo Miranda Prisley
7 kgs a menos
1 óculos novo
20 pares de sapato
1 promoção

1 desejo: que 2013 me surpreenda ainda mais que 2012!

Um comentário: