11 de agosto de 2013

Não parou...

Acho que foi seu sorriso tímido...
Ou a piscadinha...
Talvez o jeito que falou comigo.

Não foi o álcool. Eu estava sóbria.
Nem carência. Meu coração estava bem. A solteirice me fazia bem...

Pois bem, fazia...

Um beijo. Seu telefone.
Um encontro, dois, três... quanto mais nos encontrávamos, mais eu desejava encontrar.

Onde parou? Não parou.... Ainda bem!

Um comentário: