6 de agosto de 2013

Olhos certos...

As primeiras notas da música começam tocar. O suficiente para o coração dela disparar.
A visão da estrada, o vento gelado no rosto e a sensação de ter aquele momento de volta.

Naquele dia, e nos seguintes, faltaram palavras para descrever o que estava sentindo e o que desejava viver. Faltava coragem para falar do medo que sentia.

A velocidade do carro.
As mãos geladas entrelaçadas.
O desconhecido tão perto.
A música tão alta.
E os conselhos, que gritavam ainda mais alto, não saiam da cabeça dela...

Confusa, ela resolveu deixar aqueles olhos certos. Deixou para trás também aquele lugar desconhecido, os planos que tinha feito sozinha, os sonhos que tinha compartilhado, as lembranças daqueles poucos dias... mas principalmente das noites e dos beijos que trocaram embaixo do céu estrelado.

Para casa, levou uma rosa e a certeza de que toda vez que aquela música tocasse, seu coração viria a boca...




Nenhum comentário:

Postar um comentário