9 de fevereiro de 2015

boa sorte, maruja!

pés na areia.
vento no rosto.
dividia-se em sorrisos e pensamentos.
"e se" e "porquês".
esperança e confusão.

certa do que tinha que fazer, olhou para o horizonte.
ali, teve a certeza de que, agora, havia um mar inteiro para navegar.

repetiu para si mesma:
boa sorte, maruja!


Nenhum comentário:

Postar um comentário